Norte

Jalapão

O Parque Estadual do Jalapão é uma área de aproximadamente 34.000 km2 que fica localizada no leste do Tocantins. A região possui uma combinação linda de vegetação de cerrado, colinas, cavernas, rios e nascentes cristalinos, dunas de areia com 40m de altura, cachoeiras, locais de banho de água doce, formações rochosas gigantescas e uma diversidade enorme de animais, incluindo tamanduás, tatus, araras e emas.

A única coisa que você não vê em grande número são pessoas na região.

Dentro da área existe um serviço, chamado de Jalapão Extremo, que organiza passeios de vários dias pelo parque, e inclui transporte, hotéis, comida e serviços de guia turístico.

O Jalapão fica no Tocantins a 300 km da cidade de Palmas, principal porta de entrada utilizada pelos turistas. Este lugar possui uma natureza exuberante, fica na divisa da Bahia, do Piauí e do Maranhão. Em meio às dunas alaranjadas de até 40 metros de altura, fervedouros, cachoeiras de águas cristalinas e o famoso capim dourado, com certeza você vai se encantar com este paraíso que ainda é muito bem preservado e pouco explorado.

O Parque Estadual do Jalapão possui 159 mil hectares e possui uma riqueza espetacular no quesito fauna e flora. Um verdadeiro patrimônio ecológico e biológico do Brasil. Além disso, ao visitar o Jalapão, você vai poder conhecer mais da cultura local tendo contato as comunidades tradicionais e praticar esportes como sandiboarding, rafting, trilhas e ciclismo.

Como chegar ao Jalapão

Para chegar ao Jalapão, o jeito mais fácil é pegando um voo até Palmas. O aeroporto de Palmas recebe voos diretos de São Paulo, Goiânia e Brasília de companhias como conhecidas como Gol, Azul e Latam. Saindo do Rio e São Paulo, o voo até Palmas costuma ter um preço em torno dos R$ 1.000 ida e volta. Se você vai sair de outra cidade certamente vai precisar fazer uma conexão. 

Os melhores preços de hotéis

Chegando a Palmas, você vai precisar escolher uma das cidades próximas ao Parque Estadual do  Jalapão para poder se hospedar, isso porque não há outro meio de chegar ao Jalapão que não seja pela terra.

Algum dos lugares mais comuns para se hospedar no Jalapão:

  • Novo Acordo (110 km de Palmas);
  • Ponte Alta do Tocantins (190 km de Palmas);
  • Mateiros (160 km de Ponte Alta), é onde fica boa parte das atrações;
  • São Félix do Tocantins (90 km de Mateiros) é o ponto de partida para quem faz o chamado Jalapão Circular, que termina em Palmas.

Melhor época para visitar o Jalapão

Ao contrário do que se pensa, o Jalapão é ótimo para visitação durante todo o ano.

Entre maio e setembro quase não chove e são garantidos belos dias com céu azul de doer os olhos.

Em setembro, é a época do capim dourado e também a época de seca, logo, existe certo risco de queimadas. Nesta época, os dias são bem quentes e as noites bem frescas.

Na época de chuva, os dias são mais frescos e as noites costumam ser mais quentes. Mas vale lembrar que nos períodos de alta temporada (feriados e férias) há um número bem maior de pessoas interessadas no roteiro Jalapão e fervedouro, isso pode fazer com que a viagem fique muito mais movimentada do que o normal da região.

A maneira mais comum de conhecer o Jalapão é iniciando um roteiro a partir de Palmas. Apesar de ser possível fazer a viagem por conta própria, não é recomendado para quem não tem prática com estradas totalmente de areia e nem com quem não tem prática em veículos 4×4.

O que fazer no Jalapão

Cachoeira da Formiga

Cachoeira da Formiga, no Jalapão

Sem dúvidas uma experiência fantástica.

É quase sempre uma das principais surpresas dos turistas em uma viagem ao Jalapão.

Águas transparentes, com temperatura muito agradável e com praticamente 100% de pureza. Provavelmente a única coisa que vai te incomodar é o fato de ter que ir embora, fora isso é só elogios.

Não é permitido entrar na área da cachoeira com bebidas (alcoólicas ou não) ou qualquer tipo de alimento, mas você pode sair e ficar em uma área externa para beber ou comer algo. Existem locais que vendem comida, uma boa opção é pedir um peixe frito na hora.

Cachoeira da Velha

Cachoeira da Velha, no Jalapão

A Cachoeira da Velha é linda como nenhuma outra!

Infelizmente, devido à força da água, é proibido entrar para mergulhar. Mas, para os mais aventureiros existe um rafting cheio de emoção (para quem realmente gosta de uma aventura).

Cânion Sussuapara

Cânion Sussuapara, no Jalapão

O ponto de apoio para poder visitar o Cânion Sussuapara é a cidade de Ponte Alta.

De lá, são aproximadamente uns 15 km de distância.

Um paredão de pedras, de uns 12 metros de altura forma uma fenda cheia de musgos, samambaias e vegetação local muito diversificada, com uma pequena queda d’água no final. Lindo!

A título de curiosidade, Sussuapara é outra denominação do cervo do Pantanal que conhecemos como veado.

Serra do Espírito Santo

Serra do Espírito Santo, Jalapão

Essa dica é para quem não dispensa uma boa e linda trilha durante as viagens.

A subida começa durante a madrugada para que consigamos alcançar o topo bem na hora do momento do nascer do sol. 

Para quem não está acostumado, a subida é um pouco complicada, inclinada e cheia de cascalhos. Mas com certeza vale cada minuto. 

Pedra Furada

Pedra Furada, Jalapão

Se você gosta de atrações famosas, então não pode deixar de ir à Pedra Furada para garantir a sua foto.

E, se for durante o pôr do sol, melhor ainda.

Fervedouros

Fervedouros do Jalapão

Certamente uma das atrações mais marcantes e mais procuradas no Parque Estadual do Jalapão são os fervedouros.

Todos ficam impressionados com a impossibilidade de afundar na água. É isso mesmo que você está pensando. O nome do fenômeno é ‘ressurgência’, ou seja, você é jogado para cima o tempo inteiro e não afunda de jeito nenhum. Curioso, não?

Comunidade Mumbuca

Comunidade Mumbuca, Jalapão

A 35 km da cidade de Mateiros, o Povoado Quilombola Mumbuca, que atualmente não chega nem a 200 moradores, abriga descendentes de escravos.

Em uma vida simples e com algumas privações, a comunidade segue unida, produzindo e comercializando lindas peças de capim dourado.

Onde de hospedar no Jalapão?

A região do Jalapão é formada por oito municípios, sendo que as principais cidades bases para os turistas que desejam visitar o local são: Ponte Alta do Tocantins, Mateiros e São Félix do Tocantins. As cidades não oferecem grandes hotéis ou hospedagens com muito luxo.

No Jalapão, os turistas se hospedam em pousadas bem simples ou campings. Não há grande oferta de quartos ou muita variedade de estabelecimentos, por isso, não espere encontrar por lá um resort com muito requinte ou com instalações belíssimas. 

As pousadas do Jalapão geralmente ficam bem próximas às cidades e, no geral, oferecem quartos com TV aberta, ar-condicionado ou ventilador, banheiro e diárias que incluem café da manhã.

Algumas disponibilizam ainda opções de almoço e jantar no restaurante que fica dentro do próprio local.

As roupas de cama e banho são simples e nem sempre há produtos de higiene pessoal (como sabonete, shampoo, condicionador etc.) à disposição nos quartos.

Sinal de Wi-Fi é uma coisa muito rara e, caso seja de fundamental importância, o ideal é consultar este detalhe com a pousada antes de fechar a hospedagem.

Piscina também não é algo muito comum. 

Principais pousadas na cidade de Ponte Alta do Tocantins: Pousada Águas do JalapãoPousada Planaltoe.

Principais pousadas na cidade de Mateiros: Pousada Beira da MataPousada Santa HelenaPousada Panela de FerroPousada Buritis do JalapãoPousada Vereda Tropicale.

Principais pousadas na cidade de São Félix do Tocantins: Cachoeiras do JalapãoJalapão Eco Lodge

Principais áreas para camping: Fervedouro Bela VistaCachoeira do FormigaCamping do Vicente.

Dicas de alimentação no Jalapão

O Jalapão é uma região ainda muito isolada e pouco explorada do Tocantins, o que limita e muito a quantidade de restaurantes para os viajantes.

Quem visita o Jalapão deve ter em mente que não haverá grandes e renomados estabelecimentos, cardápios luxuosos ou pratos muito elaborados. O que prevalece no Jalapão é o tempero caseiro dos moradores, que muitas vezes abrem as portas da própria casa para os viajantes e servem o melhor da culinária local. 

Os atrativos do Jalapão estão quase sempre distantes das cidades que compõem a região, por isso é comum que na região dos atrativos hajam pequenos restaurantes improvisados.

Sob cabanas de palha são servidas refeições com preços entre R$20 e R$35, onde se pode comer à vontade. No geral, o cardápio é bastante comum e bem difundido. São servidos arroz, feijão, farofa, macarrão, frango (às vezes caipira), pratos com carne, peixe frito (da região), mandioca e batata, quase sempre acompanhados de alguns legumes e verduras (quase nunca há folhas frescas porque a oferta de hortifrúti é muito limitada).

Entre os restaurantes localizados nas atrações do Jalapão, os destaques são o do Fervedouro Bela Vista e o da Cachoeira das Araras, os dois com pratos deliciosos e bem temperados, com opções como estrogonofe de legumes e a costela na brasa.

Além dos atrativos que oferecem restaurantes, as pousadas também costumam servir refeições aos seus hóspedes, especialmente as que ficam mais afastadas da cidade. O café da manhã está incluído na diária e é servido com pães, queijos, presunto, bolos, biscoitos e frutas. Tudo bem simples. O jantar costuma seguir o mesmo cardápio dos restaurantes próximos e o sistema é sempre de preço fixo para comer à vontade.

É importante dizer que os turistas que optarem por viajar com empresas de turismo não terão muito para onde correr. Os restaurantes já estarão escolhidos (e quase sempre já incluídos no pacote comprado) e normalmente não haverá outras opções nas proximidades para variar o cardápio.

Como ir de um lugar ao outro no Jalapão

“O Jalapão é pra motorista bruto”. A frase, repetida com extrema frequência na região, não existe à toa. Percorrer as estradas do Jalapão não é tarefa para motoristas amadores.

Com Cerrado de solo arenoso, o Jalapão exige dos turistas o deslocamento em veículos com tração nas quatro rodas. Mesmo entre motoristas experientes em carros 4×4, as chances de ficar atolado nas estradas de areia da região são muito grandes. Dirigir por lá é tarefa para profissionais e isso não é exagero.

Claro que sempre há um corajoso em carro comum que está disposto a encarar o desafio, porém, acredite, será pura sorte se o carro não atolar. Não é recomendada a viagem em um veículo sem tração nas quatro rodas em absolutamente nenhuma hipótese. Além do 4×4, recomenda-se que os trajetos sejam realizados por um motorista e guia turístico experiente em areia ou por uma das agências que fazem tour pela região.

A qualidade das estradas do Jalapão com certeza é um grande limitador ao número de turistas. Todas as vias, sem exceção, são de terra ou de areia.

Durante o período da seca, de maio a setembro, as estradas são ainda mais desafiadoras para os motoristas. Com a areia seca e, consequentemente, mais fofa, as chances de atolar o veículo são muito maiores. E quem resgata os turistas que se aventuram por conta própria são os moradores e guias experientes nas estradas locais.

Para quem pretende se aventurar no Jalapão por conta própria, o mais recomendado é viajar no período da chuva, quando o solo está mais compactado e a circulação na areia é mais fácil. Ainda assim, o veículo 4×4 é extremamente recomendável. 

Quem viaja com as agências turísticas ou guia particular não precisa se preocupar com a localização dos atrativos, já que todo o percurso será realizado por um motorista contratado.

Já os viajantes que desejam ir por conta própria terão muito mais dificuldade, especialmente porque as estradas do Jalapão são muito mal sinalizadas. Muitos atrativos não são nem identificados por placas e também não constam em aplicativos como o Google Maps.

A falta de sinal de celular também dificulta bastante à vida do turista, já que os mapas ficarão sempre off-line e tentar buscar qualquer informação no meio da estrada será impossível. Pedir socorro em um eventual acidente também é uma tarefa muito difícil. Só mesmo esperando passar outro carro para conseguir resgate.

Caso esteja sozinho (a), leve um mapa impresso, tenha um mapa off-line no smartphone, saiba quais são todos os atrativos que você pretende visitar e busque as informações de localização antes de deixar a pousada ou sua cidade de hospedagem.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios